Como receber dividendos em dólar?

Como investir no mercado asiático

O mercado asiático é um dos mais pujantes e promissores em termos de desenvolvimento econômico. Cerca de 60% da população mundial vive na região em 49 países diferentes, sendo o continente mais populoso do mundo. 

Entre os mercados mais desenvolvidos da região, destacam-se China, Japão, Coréia do Sul, Índia, Rússia e Indonésia. Atualmente, o PIB da Ásia possui participação expressiva no cenário mundial. Aproximadamente 35% do produto interno bruto do mundo estão relacionados ao continente. 

Dado o potencial econômico da região, esta postagem tem por objetivo demonstrar maneiras simples de se expor ao mercado asiático. 

  • BDR's
Uma das maneiras mais simples de se expor ao mercado asiático é através da compra de BDR's. Os BDR's são certificados de depósitos emitidos e negociados no Brasil, mas que representam ações de empresas listadas em outros países. 
Para a emissão de BDR's, a companhia emissora no exterior deve contratar uma instituição depositária no Brasil, a qual será responsável por emitir os BDR's.
São diversas as empresas asiáticas que possuem BDR's disponíveis para negociação. Entre eles, encontram-se a Alibaba, Baidu, Netease, China Petroleum, Honda e Mitsubishi UFJ Financial Group. A lista completa de BDR's pode ser encontrada em lista da B3.
  • ETF's nacionais
Conforme comentamos em uma postagem anterior, não há uma grande disposição de ETF's negociados no Brasil em relação ao mercado estadunidense. À exceção do recente lançamento pela XP Investimentos do ETF XINA11, que compõe 698 empresas chinesas e indexado ao MSCI China, não há outra opção de exposição ao mercado asiático a partir de ETF's negociados na Bolsa de Valores de São Paulo.
Lançado em Dezembro de 2020, o fundo de índice possuía 31 mil investidores em Fevereiro de 2021, sendo o quarto ativo da categoria mais negociado no mercado brasileiro.
  • ETF's estrangeiros
Para quem realmente deseja se expor ao mercado asiático e contar com centenas de opções, eis que surgem os ETF's estrangeiros. A maneira mais simples e usual para investidores brasileiros ao aplicar no mercado asiático é através da abertura de conta em corretora americana. Os Estados Unidos são o maior mercado financeiro do mundo, é natural que empresas de todo o planeta desejem participar deste mercado.
Na sequência listamos alguns ETF's negociados na bolsa americana que investem em empresas asiáticas:

EWJ - iShares MSCI Japan ETF - Japão
BBJP - JPMorgan BetaBuilders Japan ETF - Japão
EWY - iShares MSCI South Korea ETF - Coréia do Sul
EWT - iShares MSCI Taiwan ETF - Taiwan
AAXJ - iShares MSCI All Country Asia ex Japan ETF - Ásia/Pacífico ex Japão
MCHI - iShares MSCI China ETF - China
INDA - iShares MSCI India ETF - Índia

Deste modo, ao investir em algum desses ETF's, o investidor estará exposto ao mercado o qual é o objetivo do fundo. Há uma lista extensa de ETF's da região e cada um com suas particularidade. Peguemos como exemplo o ETF INDA, que aplica na Índia.
Ao adquirir uma cota, negociada na última sexta-feira (02/04/2021) a US$ 42,38, o investidor estará exposto as maiores empresas da Índia, tais como a Reliance Industries Limited, Infosys Limited, Housing Development Finance Corporation Limited e ICICI Bank Limited. Adicionalmente, estará aplicando em uma grande variedade de mercados, desde o mercado financeiro, elétrico, de tecnologia e saúde.
  • Outros fundos
Outra opção de investimentos no mercado asiático é através de fundos multimercados negociados no Brasil. Através da XP Investimentos, dispõe-se do fundo Trend Bolsa Chinesa FIM, similar ao BDR XINA11 e ao ETF MCHI. 
O banco BTG também possui um fundo multimercado que aplica na China. O Acess China Advanage FIM compra cotas de outros fundos que investem no exterior, incluindo a China.
A oferta de fundos multimercado que aplicam em outros países asiáticos a não ser a China ainda é limitada no Brasil.
  • Stocks
Por fim, chegamos a aplicação direta em stocks através da bolsa americana. Deste modo, o investidor pode escolher ações individuais de empresas asiáticas. Neste caso, o investidor tem a opção de aplicar em ADR's (recibos de depósitos de empresas negociadas nos Estados Unidos) de empresas asiáticas. Alguns exemplos:

PDD - Pinduoduo - Plataforma de e-commerce
BABA - Alibaba - E-commerce
TM - Toyota Motors - Veículos
SFTBY - Softbank - Banco

Conclusão

Como nem tudo são flores, para o investidor, há de se ter cautela em aplicar no mercado asiático, especialmente na China. Mesmo sendo a segunda maior economia do mundo, o país possui um governo historicamente intervencionista e politicamente instável. 
É importante antes de tomar qualquer decisão de investimentos com que o investidor verifique suas taxas de administração e custos operacionais. Não recomendamos a compra de ativos, essa postagem possui caráter educacional. 

Você já investe no mercado asiático? De qual maneira? Comenta que eu quero saber!

Siga-nos no Instagram, conteúdo diário sobre finanças, negócios e investimentos: https://instagram.com/odiariodevalor

Comentários

  1. Olá, DV.

    Muito bom. Nem sabia que no Brasil tinha ETF e BDR.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cowboy!

      Infelizmente o único ETF que dispomos por aqui que investe na Ásia é o XINA11 (que no caso replica um índice da China). Esperamos que o mercado cresça futuramente!

      Excluir
  2. DV,
    Cheguei a dar uma pesquisada nesses ETFs da China uma época atrás, mas uma coisa me tocou: como será a transparência e a confiabilidade dos dados divulgados pelas empresas de lá?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caminhando,
      De fato é um grande problema. Os Estados Unidos, por exemplo, até tentam exigir maior transparência das companhias listadas na bolsa americana. No ano passado, ainda no governo Trump, foi criada uma série de exigências para essas empresas cumprirem requisitos contábeis americanos, sob a pena de terem suas ações deslistadas da bolsa. Inclusive esse é um tema bem recente.

      Dê uma verificada na notícia de semana retrasada na Reuters.
      https://www.reuters.com/article/us-usa-sec-foreigncompanies-idUSKBN2BG2AI

      Particularmente, acho ser válida a exposição ao mercado chinês, mas com cautela.

      Excluir
    2. Fala DV, quanto mais estudo sobre a china mais tomo gosto por lá, gostaria de ETFs mais direcionados, mas realmente são poucos. Também estou de olho na Índia, mas ainda não comecei os estudos.

      Mas é isso aí, aos poucos estudando vai vindo o conhecimento e as formas mais clara de aplicar.
      Abçs

      Excluir
    3. Fala TR, tudo bem?

      Particularmente gosto de analisar ETFs através do site ETF.com. Pode-se filtrar por regiões, mercados, classe de ativos e tantas outras funções.

      55 ETF's chineses: https://www.etf.com/channels/china-etfs
      12 ETF's indianos: https://www.etf.com/channels/india-etfs

      Você já conhecia o site?

      Excluir

Postar um comentário